Tudo o que ela queria é que aquela mentira passageira fosse uma verdade duradoura e que a ausência do que não existia se tornasse uma realidade presente e constante em sua vida. Mas como assim não era, decidiu seguir em frente deixando muita coisa pra trás, sem sofrimento e sem arrependimento; pois como ela mesma dizia, um final é sempre sinônimo de um novo começo, e um novo começo é sempre uma nova oportunidade para ser feliz.

Quem é ela? Eu!

sábado, 30 de agosto de 2014

PAIXÃO INTERROMPIDA

Decepcionada! Sabe quando você conhece uma pessoa que em duas horas ela se mostra super interessante e você passa meses sem vê-la e quando a reencontra ela destrói toda aquela imagem que construiu, em apenas uma conversa de 30 minutos? Que desilusão cruel! Estava tão gostosa aquela fantasia! Desencantei, já. Bem que eu deveria ter ficado quietinha e ter vivido meu amor platônico, ter curtido um pouco mais o sofrimento do querer e não ter, sem expectativas. Eu só queria viver um pouco uma ilusão. O que foi? Ás vezes eu gosto de sofrer, posso?!

Nenhum comentário:

Postar um comentário