Tudo o que ela queria é que aquela mentira passageira fosse uma verdade duradoura e que a ausência do que não existia se tornasse uma realidade presente e constante em sua vida. Mas como assim não era, decidiu seguir em frente deixando muita coisa pra trás, sem sofrimento e sem arrependimento; pois como ela mesma dizia, um final é sempre sinônimo de um novo começo, e um novo começo é sempre uma nova oportunidade para ser feliz.

Quem é ela? Eu!

sábado, 30 de agosto de 2014

ERA ELE

E entre mil números, apareceu o dele: (011). Podia ser qualquer pessoa, menos ele que em cinco anos nunca me ligou. Menos ele que não atendeu minhas ligações durante 20 dias que eu estive em São Paulo. Menos ele e fim. Bastou um oi para eu reconhecer a única voz que eu inconscientemente desejava ouvir. E pensando estar delirando, perguntei: Quem fala? Não que eu não soubesse, mas eu não acreditava. Aquele sorriso perguntando se eu não reconhecia mais sua voz era inconfundível. Claro que era ele. Ele que não me atendeu porque não estava mais usando o número para o qual eu liguei, ele que mesmo depois de tanto tempo, de toda distância e todas as circunstâncias ainda permanece adormecido em meu coração, como no conto da branca de neve: Basta um beijo para despertar! Meu eterno amor proibido. 5 anos se passaram Agora, depois de tanto tempo, existe uma longa estrada entre a ilusão e a realidade. Entre SENTIR e AGIR. Eu não posso me prender a vida inteira a uma louca paixão, eu me prendo a várias. Eu vivo o que a vida me dá pra viver. Não sou ingrata! Hoje eu tenho um lual, um churrasco e uma festa de criança. Mas eu só sou uma e preciso decidir. Não há indecisão, há uma escolha e não importa o que eu vou escolher, eu vou viver aquilo que escolhi e vou viver bem e vai ser inesquecível. Alguma pessoas dizem: Só se ama uma vez na vida. Amor de verdade é pra sempre. POIS DIGO E AFIRMO: EU AMEI, EU AMO E EU AMAREI. E ENTRE ESSES TRÊS TEMPOS O SUJEITO NÃO SE REPETE E A MAIORIA É INESQUECÍVEL.

Nenhum comentário:

Postar um comentário