Tudo o que ela queria é que aquela mentira passageira fosse uma verdade duradoura e que a ausência do que não existia se tornasse uma realidade presente e constante em sua vida. Mas como assim não era, decidiu seguir em frente deixando muita coisa pra trás, sem sofrimento e sem arrependimento; pois como ela mesma dizia, um final é sempre sinônimo de um novo começo, e um novo começo é sempre uma nova oportunidade para ser feliz.

Quem é ela? Eu!

sábado, 30 de agosto de 2014

MOMENTO NOSTALGIA

.
E quando eu olho da janela da minha cozinha, 3 da tarde, essa cancela de madeira cagada de merda de passarinho, esse lugar ao ar livre, esse cheirinho de café mal feito que eu tô fazendo (acho que foi o açúcar mascavo que esculhambou o café)... parece que eu estou lá no encantado ou no alferes ou no genipapeiro... que lembranças, que saudade! Meu eterno Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário