Tudo o que ela queria é que aquela mentira passageira fosse uma verdade duradoura e que a ausência do que não existia se tornasse uma realidade presente e constante em sua vida. Mas como assim não era, decidiu seguir em frente deixando muita coisa pra trás, sem sofrimento e sem arrependimento; pois como ela mesma dizia, um final é sempre sinônimo de um novo começo, e um novo começo é sempre uma nova oportunidade para ser feliz.

Quem é ela? Eu!

segunda-feira, 16 de junho de 2014

EU... UM OBJETO OCULTO

Eu queria sim falar algo. Mas eu não sei o que dizer. E o pior é que minhas ações contradizem as palavras que eu não disse. E eu não sei o que se entende do que eu não disse. Por que esperar tanto de mim?! Eu acho que no fundo eu sou exatamente assim, essa pessoa que eu não sou todos os dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário