Tudo o que ela queria é que aquela mentira passageira fosse uma verdade duradoura e que a ausência do que não existia se tornasse uma realidade presente e constante em sua vida. Mas como assim não era, decidiu seguir em frente deixando muita coisa pra trás, sem sofrimento e sem arrependimento; pois como ela mesma dizia, um final é sempre sinônimo de um novo começo, e um novo começo é sempre uma nova oportunidade para ser feliz.

Quem é ela? Eu!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

ECLIPSE

No lamento da noite as estrelas choram angustiadas a falta que você me faz
porque elas não são mais o grande cenário que sela o nosso amor.
Já não são apontadas e nem comparadas as nossas declarações eternas
e nem ao nosso amor infinitito que por culpa do destino chegou ao fim.

(Culpa sua para mim. Culpa minha para você.
Culpamos o destino para não culparmos nós dois)

E assim seguimos, em frente, por caminhos diferentes.
E os nossos olhares, como a Lua e o Sol,
se encontram num eclipse constante e raramente,
e ficam à espera, do tempo que passa lentamente,
por um novo eclipse amoroso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário