Tudo o que ela queria é que aquela mentira passageira fosse uma verdade duradoura e que a ausência do que não existia se tornasse uma realidade presente e constante em sua vida. Mas como assim não era, decidiu seguir em frente deixando muita coisa pra trás, sem sofrimento e sem arrependimento; pois como ela mesma dizia, um final é sempre sinônimo de um novo começo, e um novo começo é sempre uma nova oportunidade para ser feliz.

Quem é ela? Eu!

sábado, 10 de dezembro de 2011

PERFIL COMPLETO

     Eu... não sou pronome pessoal do caso reto. Sou verbo transitivo à procura de um objeto.
     Não peço preposição, não peço nada:
     Sou direto!
    
     O mundo ainda éestranho pra mim. Continuo perdida à procura de meu lugar. Às vezes, me sinto tão criança, que dá vergonha de olhar no espelho e dar de cara com meus quase 26 anos.

     Tudo parece tão fácil e de repente se torna tão difícil... e mesmo assim eu continuo achando fácil ( o que cria um problema em relação a visão do outro).

     Falta algo, mas eu ainda não sei o que é. Estou sempre começando um novo parágrafo mas sinto que o anterior nunca é finalizado (há uma reticências que parece me seguir a vida inteira...)
Talvez por saber a resposta eu esteja sempre querendo mudar a pergunta.

     Muito me interessa a vida: A minha.
     Gosto de viajar, de conhecer (um pouco de tudo). Gosto do novo, da mudança, de ir mais uma vez além, mesmo que eu não chegue. Me alegra a expectativa (mesmo que ela não seja correspondida) porque é ela quem dá graça ao "enfim"!!

     Dizem que sou louca: Porque eu vivo a vida que quero viver. Porque eu tenho coragem de falar o que eu penso. Porque realizo todos os desejos que, em outros, continuam reprimidos.
     Loucos são os outros, que ficam remoendo o mesmo pecado em pensamento por meses. Eu o vivo duas vezes: uma na mente e a outra em ação. Porque não existe pecadinho e nem pecadão. Pecado é pecado e  fim! "Os certos, às vezes, são os mais errados" e os que se acham mais inteligentes e fieis são os que enganam e fazem o papel de tolo duas vezes: uma por enganar a si mesmo e outra por achar que estão enganando a Deus.
     Perdão senhor, pois não sei negar a mim o que anseio, não resisto as minhas vontades, não consigo matar de fome minhas ilusões... Perdão pelos meus pensamentos tão contraditórios, por minhas ações tão conscientes!!!
(pelo menos eu sou fiel a nós dois!)
     Chega de dizer que vou mudar, que vc, senhor, vai me mudar. Vamos parar de nos enganarmos. Tem coisa que eh pra sempre: É a personalidade, a essência. E se assim o senhor fez, por que vai querer mudar?
Não lavo, não passo, não cozinho e ponto final. Não nasci pra isso.

     Há a mudança, mas o que realmente importa só será percebido por quem realmente interessa.
     Cada ano que passa a gente muda um pouquinho, tanto fisicamente quanto mentalmente. Chegar aos 25 causou-me ruga no cérebro, apesar de minha pele irradiar a luz dos 22. Mas o que faz a gente mudar não é somente o tempo, mas as experiências, geralmente ruins. O que faz a gente ficar desconfiado é o excesso de mentira que a gente escuta. O que faz a gente ficar "mal amado" é o excesso de amor disperdiçado por pessoas erradas.
     Minha vida inteira eu apostei no amor. Foram 24 anos que eu só me decepcionei: Com namorados, com amigos, com família, trabalho... Seria até burrice se eu não apostasse em algo diferente no meu 25º aniversário.

Não é um plano teórico. É uma ação inconscientemente praticada.
Mas pra mim o amor é um vício. E por mais que eu faça outras apostas, sempre jogo algumas fichas na tentativa, talvez algum dia util, de um dia dizer: BINGO!!

 

2 comentários:

  1. Oi Rebeca Araújo, gostei muito das suas palavras no seu blog, principalmente" Se metade de mim agrada e a outra nao, nao posso partir-me ao meio.
    Ou suporta meus defeitos ou joga fora minhas qualidades." Seu blog está uma gracinha!!!
    Angela Lima.(Namorada do Mael)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Ângela. Vou tentar dar mais atenção ao meu blog e postar mais.

      Excluir